IBRAM abre Processo Seletivo com 100 vagas de brigadistas no DF

Confira apostilas para este concurso!

O Instituto Brasília Ambiental publicou no Diário Oficial desta quinta-feira, 5 de julho, Edital de processo seletivo para contratação de 100 brigadistas, equipes especializadas para atuar na proteção e prevenção a incêndios florestais nos parques e unidades de conservação do DF. Para serem contratados os candidatos devem apresentar certificado ou diploma de conclusão de ensino médio ou equivalente, além de declaração de curso Brigadista Florestal promovido por órgãos públicos da área ambiental. A última seleção de brigadistas fora feita há três anos.

São oitenta vagas, com remuneração de R$ 1.908,00, para trabalhar em turno de doze horas de trabalho por 36 horas de descanso, mais quatro destinadas a Chefes de Brigada, com salário de R$ 2.862, além de outras 16 para chefes de esquadrão (cujo salário é R$ 2.385). Os turnos serão definidos pelo Ibram. A inscrição é gratuita e ocorrerá nos dias 13, 16, 17 e 18 de julho de 2018. Os candidatos precisam comparecer à sede do Instituto (na SEPN 511, Bloco “C”, Edifício Bittar, térreo, Brasília-DF), entre 8h às 11h30 e de 13h às 18h, para entregar documentação e garantir a inscrição no processo seletivo. Confira no fim desta matéria, a ficha de inscrição e o edital do certame.

FOGO PROGRAMADO – A contratação desses profissionais é uma das ações do órgão para evitar os grandes incêndios em suas 73 Unidades de Conservação espalhadas pelo DF. Mas, o órgão também, em parceria com o Corpo de Bombeiros, na prevenção e combate a incêndios em outras áreas. Nesta quinta-feira, por exemplo, serão realizadas na Bacia do Descoberto ações de Fogo Programado, uma estratégia para evitar ocorrências de grande porte durante o período mais intenso da seca, nos próximos meses.

Após avaliações sobre força e direção de ventos e estudos da vegetação, o fogo é deliberadamente provocado em áreas delimitadas por aceiros, porém mantido sob controle dos especialistas. Com isso, eliminam-se capim e vegetação exóticas suscetíveis à fácil combustão e as áreas ficam imunes a grandes incêndios. A prática é utilizada em várias partes do mundo.